sábado, 21 de agosto de 2010

Desde os primórdios até hoje em dia

No início da Internet, as páginas WEB eram estáticas. O usuário requisitava uma página a um servidor WEB e esta era retornada ao Browser do computador cliente da forma como a mesma havia sido confeccionada. Com o tempo e devido as necessidades dos usuários, surgiram tecnologias que permitiam a esse usuário interferir no resultado desse retorno seja no lado cliente ou no lado servidor.

Para possibilitar essa interatividade, o programador tinha que possuir uma miscelania de conhecimentos. alguma tecnologia que proporcionasse a construção de páginas dinâmicas(ASP, PHP, JSP, ColdFusion...), Javascript, HTML, DHTML, CSS, etc. Esse tipo de tecnologia possibilita a inclusão de estruturas de decisão e repetição dentro das páginas.

A Microsoft coloca no mercado a tecnologia ASP (Active Server Pages) que segue o modelo cliente servidor mencionado no primeiro parágrafo deste POST.

Sendo assim, o computador cliente faz requisições ao computador servidor e este retorna uma resposta ao computador cliente.

Entretando o servidor verifica a extensão do arquivo e quando essa extensão é do tipo .ASP o servidor submete o processamento a uma dll (ASP.DLL) a qual fica responsável pelo processamento da requisição efetuada pelo computador cliente. O resultado desse processamento então é devolvido ao cliente pelo servidor.
O fluxo de trabalho é o seguinte:

1. O Cliente (Navegador Web) localiza o servidor da Web por URL (como http://www.globo.com/).
2. O Cliente solicita uma página (como cadastro.asp)
3. O Servidor examina a solicitação e processa a saída codificada em HTML.
4. O Cliente recebe o documento e o exibe.

Neste cenário, o servidor não tem a mínima idéia do que o cliente esta fazendo, a menos que este faça outra requisição.

Com isso surgem alguns problemas para o programado e Microsoft então lança uma evolução da tecnologia ASP -  O ASP.NET.

O ASP.Net trabalha em outro modo de comunicação entre clientes e servidores Web, que é conhecido como modelo baseado em eventos. Isso quer dizer que o servidor espera algo acontecer no cliente. Quando ocorre, o Servidor toma
medidas para realizar alguma funcionalidade.

Então podemos afirmar que o Servidor vai responder a suas ações no momento em que cliente clicar em uma imagem ou selecionar um CheckBox, por exemplo.

O ASP.Net funciona assim – detecta ações e as responde. Para isso o ASP.Net conta com um processamento inteligente do lado cliente para simular um modelo baseado em eventos.

É como se o ASP.Net colocasse alguns espiões no cliente, de modo que o servidor seja informado sobre tudo que está acontecendo do lado do cliente.

Os espiões do ASP.Net são os scripts do lado do cliente, que transmitem mensagens por meio de postagens para o servidor.
Este conceito que o ASP.Net implementa facilita a vida o programador, pois este não precisa mais se concentrar em direcionar requisições e respostas. O programador, deste modo, fica livre para se concentrar na construção da lógica de negócio da aplicação.

Sendo assim a aplicação reage às ocorrências do usuário imediatamente em vez de esperar que os formulários desta aplicação sejam submetidos. Essa integração mais inteligente entre o lado cliente e o lado servidor possiilita a aplicação lidar atencipadamente com as ações do usuário.

No próximo POST falaremos mais sobre as melhorias promovidas pelo ASP.NET

Grande abraço

Nenhum comentário: